Recaída.

 

1ª Parte.

 

1º Pela vigésima vez fraquejei não resisti, depois de um mês longe do crack recaí.

2º Carbonizei no cachimbo as esperanças da família, que deixou na clínica todas economias.

3º Com as câimbras abdominais e o suor excessivo, esqueci o empréstimo consignado pra me manter vivo.

4º A convulsão da abstinência venceu a laborterapia, a dinâmica de grupo a reunião emotiva.

5º Me dei alta do tratamento pré-escrito, fugindo do centro de recuperação pra dependente químico.

6º Mais uma vez virei caça da equipe de remoção, com sua ambulância à postos pra reinternação.

7º Não comecei com maconha como escreve a Veja, mais com um parente oferecendo um copo de cerveja.

8º Eu era um jovem normal que pra secretaria municipal, não se encaixava na política de saúde mental.

9º Cheirava, dava uns dois, controlava a situação, até ouvir dá uma pipada e experimenta a sensação.

10º Em uma semana troquei a vocação pro estetoscópio, por seis meses de vida no novo vale dos leprosos.

11º Minha mãe só entendeu meu comportamento de risco, quando um vapor veio cobrar o que eu tinha consumido.

12º Aí tia, sem querer apavorar, seu filho deve 100 conto e vai morrer se não pagar.

 

 

2ª Parte.

 

1º Ao invés do governo dar assistência clínica, ergue muro pra eu não roubar o motorista da Captiva.

2º To de volta as pistas e aos golpes estratégicos, adequados à degradação dos meus músculos esqueléticos.

3º Tenho que catar vítima que não esboça reação, no meu estado nem com idosa da pra sair na mão.

4º Outro dia juntou uns bico pra me linchar, dei um bote num relógio e não tive fôlego pra vazar.

5º Não é a droga que põem cadeado no calcanhar, é o processo estatal de aliciar, viciar e abandonar.

6º Pro sistema quanto mais legiões de viciados, menos políticos cobrados, condenados e cassados.

7º A população das cracolândias não exige trabalho, escolas, universidades, aumentos de salário.

8º Devo ter uns 50% de neurônios vivos, atormentados por sintomas, paranóides e delírios.

9º As preocupações da minha saga depressiva, é fumar e não cair na limpeza social dos lojistas.

10º A droga só é a decisão acertada, pra quem quer a mãe no Ministério da Saúde acorrentada.

11º Implorando leitos pra dependente em hospital, psiquiatra no centro de atenção psicossocial.

12º Medida drástica a fechadura foi trocada, enquanto não aceitar me tratar to expulso de casa.

 

 

3ª Parte.

 

1º O SUS não trata viciado, pra não quebrar o acordo fechado, com a fazenda de desintoxicação do empresário.

2º Pra dependente a única vaga do setor público, é na quadra 1 do cemitério dentro de um túmulo.

3º O que ignorante vê como desculpa pra delinqüência, pra organização mundial da saúde é doença.

4º Mereço respeito, amor e solidariedade, como o portador de aids, diabetes, alzheimer.

5º Era verão e nenhum corre tinha sido frutífero, precisava saciar a fome do meu vicio mortífero.

6º Lembrei do meu caixa 24 horas antigo, que a quase um ano não falava comigo.

7º Pulei o portão da minha ex-casa e invadi, minha mãe na cozinha aterrorizada, olhou pra mim.

8º Tentou se defender da minha fúria com a vassoura, pus pra dormir com um direto no meio da boca.

9º Transtornado espancava a pessoa que mais me amava, a fissura me consumia e pra mim ela era a culpada.

10º Peguei um quadro na parede e uma batedeira, e corri mais rápido que Usain Bolt pra biqueira.

11º Depois do efeito da noitada acordei na delegacia, sendo afogado sem entender pelo plantonista.

12º Fiquei incrédulo quando os socos curaram minha amnésia, como pude matar minha mãe com trinta facadas por uma pedra.

 

 

Refrão:

     Recaí, to de volta ao itinerário das covas, onde a coca solidificada forma as pedras preciosas.

     QI devastado, sigo na fissura, pronto pra esquartejar por 5 minutos de loucura.